Participação infantil em shows e shows


Pergunta escrita n ° 06704 do Sr. Philippe Madrelle (Gironde – SoC)

Postado no Jo Senado de 18/12/2008 –

O Sr. Philippe Madrelle insta a atenção do Ministro da Cultura e da Comunicação sobre os termos da participação das crianças em shows e shows. Ele lembra que os regulamentos atuais impõem que, durante as admissões pagas, qualquer criança presente na cena percebe um selo artístico baseado no SMIC por hora. Se os méritos dessas disposições aparecerem claramente no meio de publicidade, cinema ou manequinado, não é o mesmo para a maioria, muitas vezes estruturas associativas, que lidam com consciência e treinamento artístico. Menores. Essas associações organizam cursos de treinamento com menores, concluindo com um concerto pago assistido pelos formandos na primeira parte. Este será o caso de galas de dança pagas, por exemplo, em conclusão de um trabalho anual de jovens amadores com um profissional. Estas são manifestações muito pontuais e cujas não podem suspeitar do caráter inferior “comercial”, cuja organização e supervisão profissional levam a taxas que não permitem o gratuito, a menos que tenham subsídios apropriados, que geralmente não é o caso. A perspectiva de remunerar os pequenos artistas que participam desse tipo de evento provavelmente encorajarão os organizadores, muitas vezes voluntários, desistir e, portanto, desistir do treinamento e consciência de muitos jovens. Por isso, pergunta se não considera apropriado alterar a legislação atual para que tais demonstrações possam continuar a ser organizadas.

Resposta do Ministério da Cultura e Comunicação

Postado no Jo Senado de 02/04/2009 – Página 817

Jovens amantes que expõem sua prática artística em um show de fim de ano em um ambiente sem fins lucrativos, não se enquadram no código de trabalho . Por outro lado, os menores que participam de um show em um ambiente lucrativo estão sujeitos à lei do trabalho e, como tal, devem ser pagos. A presença de uma bilheteria não é suficiente para caracterizar a lucrata de um show, que é apreciado à luz de vários critérios estabelecidos pelo código de trabalho a frequência e importância das manifestações, o uso de publicidade e a publicidade. Uso de equipamento. As disposições relativas ao trabalho: as crianças, previstas no Código de Trabalho, visam proteger a criança, verificando as condições sob as quais ele é empregado, incluindo o ritmo de representação, remuneração, licença e períodos de descanso, higiene e segurança, salvaguarda sua saúde e moralidade. Este regulamento aplica-se sem distinção do setor empresarial em que a criança é empregada. O Ministério da Cultura e a Comunicação é anexado a encorajar e promover a prática amadora, mas em conexão com o Ministério do Trabalho, Relações Sociais, Família, Solidariedade e Cidade, permanece muito atenta às condições de trabalho de crianças e respeito pelas medidas de proteção que se beneficiam .

No Responses

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *